Registro no Ministério da Saúde: 104.103-0 19 3522.4200 | 11 5083.4661

BIBLIOTECA

SONACEL EXPERT 3MHZ - ULTRASSOM

Introdução

Como o próprio nome sugere, são ondas de som ou vibrações mecânicas num meio elástico. Estas ondas longitudinais fazem com que a membrana do tímpano vibre e, portanto, são chamadas vibrações sonoras. A faixa de freqüência que o ouvido humano consegue “ouvir” está compreendida aproximadamente entre 20 Hz e 20.000Hz; freqüências abaixo de 20Hz são os sub-sons e acima de 20.000Hz são os ultra-sons. Sendo assim, pode-se definir terapia por ultra-som como sendo um tratamento por meio de vibrações mecânicas com a freqüência acima de 20.000Hz (20 KHz).

Este equipamento incorpora a mais recente tecnologia de geração de ondas sonoras sob a forma de vibrações mecânicas na freqüência de 3 MHz, ideal para o uso em Fisioterapia Dermato-Funcional e Estética. Esta freqüência significa o número de vezes que um fenômeno se repete dentro de 1 segundo; sendo assim, o equipamento gera 3.000.000 de ondas em 1 segundo. Quanto maior a freqüência do ultra-som maior a sua absorção, portanto menor a sua capacidade de penetração; assim, esse equipamento atinge estruturas mais profundas, em torno de 1 a 2 cm de profundidade.

Efeitos do ultrassom

* Efeitos Mecânicos

Em conseqüência das vibrações longitudinais, característica do ultrassom, um gradiente de pressão é desenvolvido nas células individuais. Como resultado desta variação de pressão positiva e negativa, elementos da célula são obrigados a se moverem / vibrarem, formando uma microcorrente acústica que origina a micromassagem tecidual, aumentando o metabolismo celular, o fluxo sangüíneo e o suprimento de oxigênio.

* Efeitos Térmicos

São decorrentes da absorção da onda pelo tecido e da agitação das moléculas, sendo representados por vasodilatação, aumento da permeabilidade da membrana, aumento na reabsorção tecidual e aumento na extensibilidade do colágeno.

* Efeitos Químicos

A microcorrente acústica promove o aumento da permeabilidade das membranas celulares, capaz de alterar a taxa de difusão dos íons, causando alterações terapêuticas como aumento na secreção pelos mastócitos (liberação de histamina), aumento na captação de cálcio e maior produção de fator de crescimento pelos macrófagos. Em adição, uma variação do pH dos tecidos para próximo da condição alcalina é observada.

* Efeito de Cavitação

Este efeito descreve a formação de bolhas ou cavidades no meio líquido, decorrentes de ondas estacionárias. Pode promover danos teciduais quando as bolhas geradas são em grandes quantidades e só é utilizado, propositalmente, em pós hidrolipoclasia ultrassônica (realizado por médicos).

* Efeito de Fonoforese

Fonoforese ou Sonoforese é a habilidade do Ultrassom em incrementar a penetração de agentes farmacologicamente ativos para a pele através da onda ultrasônica. Os princípios ativos comumente utilizados são hyalozima, cafeína, ginkobiloba, entre outros.

* Efeito Tixotrópico

Capacidade do Ultrassom na redução da viscosidade do tecido ou na despolimerização da substância fundamental amorfa. Através desse efeito, ocorre o aumento da elasticidade tecidual e a diminuição de consistência tecidual fibrótica.

* Efeito sobre o Sistema Nervoso Periférico

A utilização no modo contínuo pode afetar a velocidade de condução nervosa, aumentando-a devido ao aquecimento dos tecidos.

* Efeito sobre a Cicatrização

As ondas ultra-sônicas são capazes de facilitar a formação de novos vasos, atuando na facilitação da cicatrização. (BORGES, 2006)

Indicações

Contra-indicações

Preparação do paciente

Selecionar a área a ser trabalhada e higienizá-la com álcool ou água e sabão para facilitar a fonoforese ou mesmo a penetração do gel de contato.

Aplicação

- Intensidade

Sugerem-se as seguintes intensidades para aplicação em protocolos Dermato-Funcionais e de Estética, porém deve haver uma prévia avaliação e cautela do modo e intensidade selecionados, para que haja eficiência no tratamento, sem risco de flacidez tissular. Vale ressaltar que a intensidade só pode ser ajustada depois de pressionada a tecla START.

OBS: Para a determinação da intensidade correta, em cada caso, devemos ter em mente a dose ideal que deverá atingir os tecidos, levando-se em consideração a atenuação das ondas sonoras nos tecidos superficiais à área da lesão (pele, tecido subcutâneo, músculo e outros)

6.2. Modo

Contínuo: emissão constante de ondas durante o tempo programado, com maior deposição de energia.

Pulsado: emissão de ondas interrompidas por um intervalo de tempo, com maior efeito mecânico e menor deposição de energia. Pode ser:

O pulsado em 100 Hz apresenta os seguintes modos:

* 50% ou 1/2: a onda passa por 5 ms e tem um tempo off de 5 ms

* 20% ou 1/5: a onda passa por 2 ms e tem um tempo off de 8 ms

* 10% ou 1/10: a onda passa por 1 ms e tem um tempo off de 9 ms

Desse modo, para que haja uma melhor compreensão da emissão da onda no modo pulsado, segue abaixo uma tabela de conversão das intensidades do modo contínuo para o pulsado:

Nota 1: No modo pulsado a potência instantânea varia de 0,1 a 2,0 W/cm2, e a potência média segue as porcentagens descritas acima (50, 20, 10 %).

Exemplo: Supondo que o Display indicador de potência indica 2,0 W/cm2. Se o modo escolhido é o contínuo, a relação é de 100%, e a potência será de 2,0 W/cm2. No mesmo exemplo, se o modo escolhido é pulsado 1/5 e a relação é de 20%, a potência será 20% da indicada, ou seja, 0,4 W/cm2.

Nota 2: Lembre-se que o indicador estará sempre lendo potência instantânea.

Nota 3: Para esse tipo de emissão controlada por microprocessador, o teste de cavitação com água no cabeçote pode não ser válido, devido ao fato da falta de acoplamento. A nebulização (fumaça de água) não será visualizada, mesmo elevandose a intensidade até seu valor máximo (2,0 W/cm2). Isto não significa que seu equipamento está descalibrado ou com problemas.

- Tempo

O tempo pode ser determinado pela quantidade de cabeçotes que cabe na área a ser tratada; assim sendo, coloca-se 1 minuto para cada cabeçote e o ideal é que se trabalhem áreas pequenas com um tempo menor, para que não se exceda 20 minutos em todas as áreas a serem tratadas e para que não se corra nenhum risco. Ou ainda, dividindo-se a área a ser tratada pela ERA (3,5 cm²).

Técnica de aplicação em Dermato-Funcional e Estética

- Direta (com gel como meio de acoplamento)

Dinâmica / Deslizante: realizam-se movimentos circulares de forma homogênea e com ritmo muito lento para distribuir a energia tão uniformemente quanto possível ao longo do tecido.

Semi-estacionária: realizam-se movimentos de mínima amplitude sobre a região a ser tratada.

Limpeza do Transdutor

Depois de usar o transdutor, limpe o gel de ultrassom com água corrente e detergente neutro ou retire o gel com papel toalha e higienize com álcool. Sempre limpe e seque o transdutor antes de guardá-lo para evitar o acúmulo de gel ou outros agentes de contato que possam vir a impregnar partes do transdutor, servindo de ambiente para a proliferação de microorganismos.

e-mail: suporte@bioset.com.br

NEWSLETTER - Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades! Cadastre-se